Polímeros: Ciência e Tecnologia
https://revistapolimeros.org.br/journal/polimeros/article/doi/10.1590/0104-1428.1915
Polímeros: Ciência e Tecnologia
Scientific & Technical Article

Absorção de água e propriedades mecânicas de compósitos poliméricos utilizando resíduos de MDF

Water absorption and mechanical properties of polymer composites using waste MDF

Gomes, Jailton Weber; Godoi, Glauber Silva; Souza, Luiz Guilherme Meira de; Souza, Luiz Guilherme Vieira Meira de

Downloads: 1
Views: 345

Resumo

Apresenta-se o estudo de viabilidade de utilização, como reforço em materiais compósitos poliméricos, de resíduos originados da manufatura dos painéis de MDF (Medium Density Fiberboard), avaliando seu potencial como alternativa em substituição a cargas minerais para aplicação industrial. A escolha da resina poliéster ortoftálica foi motivada pelas suas propriedades e principalmente pelo seu baixo custo e facilidade de aquisição. Diferentes frações mássicas (m) de adição de resíduo em resina poliéster ortoftálica foram estudadas: 0, 10, 15 e 20%. As propriedades analisadas foram: resistência mecânica, absorção de água e grau de cristalinidade. Os resultados mostram a diminuição das propriedades mecânicas em até 53%, no índice de cristalinidade em até 18% e aumento no índice de absorção de água em quase cinco vezes para o compósito de maior adição de resíduo (C20).

Palavras-chave

compósitos poliméricos, resíduos de MDF, resina poliéster ortoftálica, resistência mecânica, índice de cristalinidade.

Abstract

The study examines the feasibility of using MDF (Medium Density Fiberboard) waste as reinforcement in orthophthalic polyester resin, evaluating its potential as an alternative to mineral filler for industrial applications. The orthophthalic resin was chosen because it’s good performance, low cost and easily obtainable. Three composite compositions were prepared containing different amount of waste MDF (10, 15 and 20%). The mechanical properties, degree of crystallinity and water absorption of the resin and its respective composites were evaluated. The results show a decrease in mechanical strength and crystallinity index followed by an increase in water absorption index caused by poor adhesion in the region of the polymer matrix fiber interface.

Keywords

polymeric composites, MDF waste, polyester resin orthophthalic, mechanical strength, crystallinity index.

References

1. Rowell, R. M. (2012). Handbook of wood chemistry and wood composites (2. ed.). Boca Raton: CRC Press.

2. Processo produtivo de chapa de fibra de média densidade (MDF). (2003, Maio). Revista da Madeira, 71. Recuperado em 27 de agosto de 2015, de http://www.remade.com.br/br/revistadamadeira_materia.php?num=330&subject=MDF&title=Processo

3. Características tecnológicas e aplicações. (2003, Maio). Revista da Madeira, 71. Recuperado em 27 de agosto de 2015, de http://www.remade.com.br/br/revistadamadeira_materia.php?num=328&subject=Hist%C3%B3ria&title=Caracter%C3%ADsticas%20tecnol%C3%B3gicas%20e%20aplica%C3%A7%C3%B5es

4. Produção de painéis pode chegar a 12 milhões de m3 em dez anos. (2010, Julho). Revista da Madeira, 124. Recuperado em 27 de agosto de 2014, de http://www.remade.com.br/br/revistadamadeira_materia.php?num=1475&subject=

5. Biazus, A., Hora, A. B., & Leite, B. G. P. (2010). Panorama de mercado: painéis de madeira. BNDES Setorial, 32, 49-90. Recuperado em 27 de agosto de 2014, de http://www.bndes.gov.br/SiteBNDES/bndes/bndes_pt/Institucional/Publicacoes/Consulta_Expressa/Tipo/BNDES_Setorial/201009_02.html

6. Moraes, G. S., & Gordono, F. S. (2015). Análise das vantagens e desvantagens da implantação da ISO 14001 e o Sistema de Gestão Ambiental (SGA). In Anais do 4° Simpósio de Tecnologia em Meio Ambiente e Recursos Hídricos (pp. 430-441). São Carlos: RiMa. Recuperado em 29 de agosto de 2015, de http://issuu.com/rimaeditora/docs/anaisjahu

7. Brasil. Ministério do Meio Ambiente – MMA. (2014). Gestão de resíduos. Brasília: Ministério do Meio Ambiente. Recuperado em 20 de agosto de 2014, de http://www.mma.gov.br/responsabilidade-socioambiental/a3p/eixos-tematicos/gest%C3%A3o-adequada-dos-res%C3%ADduos.

8. Calderoni, S. (1999). Os bilhões perdidos no lixo (3. ed.). São Paulo: Humanitas Editora, FFLCH/USP.

9. Abreu, L. B., Mendes, L. M., & Silva, J. R. M. (2009). Aproveitamento de resíduos de painéis de madeira gerados pela indústria moveleira na produção de pequenos objetos. Revista Árvore, 33(1), 171-177. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-67622009000100018.

10. Casagrande, E. F. J., Maclovia, C. S., Cassilha, A. C., Podlasek, C. L., & Mengatto, S. N. F. (2004). Indústria moveleira e resíduos sólidos: considerações para o equilíbrio ambiental. Revista Educação & Tecnologia, 8, 209-228. Recuperado em 27 de agosto de 2014, de http://revistas.utfpr.edu.br/pb/index.php/revedutec-ct/article/view/1142/739

11. Ferreira, S. D., Altafini, C. R., Perondi, D., & Godinho, M. (2015). Pyrolysis of Medium Density Fiberboard (MDF) wastes in a screw reactor. Energy Conversion and Management, 92, 223-233. http://dx.doi.org/10.1016/j.enconman.2014.12.032.

12. Farage, R. M. O., Rezende, A. A. P., Silva, C. M., Nunes, W. G., Carneiro, A. C. O., Vieira, D. B., & Rodrigues, C. L. S. (2012). Avaliação do potencial de aproveitamento energético dos resíduos de madeira e derivados gerados em fábricas do polo moveleiro de Ubá - MG. Revista Ciência Florestal, 23(1), 203-212. http://dx.doi.org/10.5902/198050988454.

13. Hedlund, T. A. (2013). A redução dos impactos ambientais como proposta para o desenvolvimento de luminária a partir de resíduos de MDF (Monografia). Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul, Ijuí. Recuperado em 27 de agosto de 2014, de http://bibliodigital.unijui.edu.br:8080/xmlui/handle/123456789/1772

14. Hillig, E., Iwakiri, S., Andrade, M. Z., & Zattera, J. (2008). Characterization of composites made from high density polythylene (HDPE) and furniture industry sawdust. Revista Árvore, 32(2), 299-310. Recuperado em 27 de agosto de 2014, de http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0100-67622008000200013&script=sci_arttext

15. Jung, C. F., Rosa, F. P., & Sporket, F. (2014). Desenvolvimento de absorvedores de radiações eletromagnéticas a partir de resíduos de indústrias alimentícias e moveleiras: uma alternativa sustentável. In Anais do XII Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia (pp. 1-16). Resende: AEDB. Recuperado em 27 de agosto, de http://www.aedb.br/seget/arquivos/artigos14/16120137.pdf

16. Piekarski, C. M., Francisco, A. C., Luz, L. M., Alvarenga, T. H. D. P., & Bittencourt, J. V. M. (2014). Environmental profile analysis of MDF panels production: study in a brazilian technological condition. Cerne, 20(3), 409-418. Recuperado em 27 de agosto de 2014, de http://www.scielo.br/pdf/cerne/v20n3/a10v20n3.pdf

17. Silva, A. F., & Figueiredo, C. F. (2010). Reaproveitamento de resíduos de MDF da indústria moveleira. Design & Tecnologia, 2, 77-87. Recuperado em 27 de agosto de 2014, de http://www.pgdesign.ufrgs.br/designetecnologia/index.php/det/article/view/49

18. Teixeira, M. G., & César, S. F. (2006). Produção de compósito com resíduo de madeira no contexto da ecologia industrial. Revista Madeira Arquitetura & Engenharia, 7(19), 1-15. Recuperado em 27 de agosto de 2014, de http://madeira.set.eesc.usp.br/article/view/219

19. Teixeira, A. O. (2011). Avaliação de oportunidades de implementação de P+L em uma marcenaria de pequeno porte e proposta de ecoproduto (Dissertação de mestrado). Universidade de Santa Cruz do Sul, Capão da Canoa. Recuperado em 27 de agosto de 2014, de http://www.unisc.br/portal/upload/com_arquivo/dini_final.pdf

20. Weber, C., & Iwakiri, S. (2015). Utilização de resíduos de compensados, MDF e MDP para produção de painéis aglomerados. Ciência Florestal, 25(2), 405-413. Recuperado em 27 de agosto de 2014, de http://www.scielo.br/pdf/cflo/v25n2/0103-9954-cflo-25-02-00405.pdf

21. World Health Organization. International Agency for Research on Cancer. (2006). IARC Monographs on the Evaluation of Carcinogenic Risks to Humans (Vol. 88). Lyon: IARC Working Group. Recuperado em 27 de agosto de 2014, de http://monographs.iarc.fr/ENG/Monographs/vol88/mono88.pdf

22. Dutkiewicz, J. (1983). Hydrolytic degradation of cured urea–formaldehyde resin. Journal of Applied Polymer Science, 28, 3313-3320. http://dx.doi.org/10.1002/app.1983.070281101.

23. Rio Grande do Sul. Governo do Estado. Fundação Estadual de Proteção Ambiental Henrique Luiz Roessler – FEPAM. (2012, 15 de fevereiro). Portaria n° 009/2012, de 08 de fevereiro de 2012. Dispõe sobre o regramento para o uso de derivados de madeira, em especial MDP e MDF (Medium Density Fiberboard e Medium Density Particleboard), não contaminados, como combustível alternativo/principal. Diário Oficial do Estado, Porto Alegre. Recuperado em 27 de agosto de 2014, de http://www.proamb.com.br/downloads/d5mhjg.pdf

24. Klyosov, A. A. (2007). Wood-plastic composites. New Jersey: John Wiley & Sons.

25. Rodolfo, A., Jr., & John, V. M. (2006). Desenvolvimento de PVC reforçado com resíduos de Pinus para substituir madeira convencional em diversas aplicações. Polímeros: Ciência e Tecnologia, 16(1), 1-11. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-14282006000100005.

26. Wakelyn, N. T., & Young, P. R. (2003). Crystallinity index of poly(ethylene terephthalate) by x-ray diffractometry and differential scanning calorimetry. Journal of Applied Polymer Science, 10(10), 1421-1428. http://dx.doi.org/10.1002/app.1966.070101004.

27. American Society for Testing and Materials – ASTM. (2003). ASTM D638-03 – Standard test method for tensile properties of plastic. West Conshohocken: ASTM.

28. American Society for Testing and Materials – ASTM. (2001). ASTM D790 Standard Test Methods: Flexural properties of unreinforced and reinforced plastics and electrical insulating materials. West Conshohocken: ASTM.

29. American Society for Testing and Materials – ASTM. (2010). ASTM D570-98 – Standard Test Method for Water Absorption of Plastics. West Conshohocken: ASTM.

30. Rabiej, S. (1991). A comparison of two X-ray diffraction procedures for crystallinity determination. European Polymer Journal, 27(9), 947-954. http://dx.doi.org/10.1016/0014-3057(91)90038-P.

31. Xing, C., Zhang, S. Y., & Deng, J. (2004). Effect of wood acidity and catalyst on UF resin gel time. Holzforschung, 58(4), 408-412. http://dx.doi.org/10.1515/HF.2004.061.

32. Belini, U. L., Tomazello, M., Fo., Chagas, M. P., & Oliveira, J. T. D. S. (2008). Alterações na estrutura anatômica da madeira de cavacos de Eucalyptus grandis em três condições de desfibramento para a confecção de painéis MDF. Revista Árvore, 32(3), 523-532. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-67622008000300013.

33. Associação Brasileira de Celulose e Papel – BRACELPA. (2014). Dados do setor. São Paulo: BRACELPA. Recuperado em 27 de agosto de 2014, de http://bracelpa.org.br/bra2/sites/default/files/estatisticas/booklet.pdf

34. Vital, M. H. F. (2007). Impacto ambiental de florestas de eucalipto. Revista do BNDES, 14(28), 235-276. Recuperado em 27 de agosto de 2014, de http://www.bndes.gov.br/SiteBNDES/export/sites/default/bndes_pt/Galerias/Arquivos/conhecimento/revista/rev2808.pdf

35. Silva, J. C. (2014). Eucalipto. Desfazendo mitos e preconceitos. Presidente Prudente: Fazendas Floresta. Recuperado em 27 de agosto de 2014, de http://fazendasfloresta.com.br/materia3.asp

36. Brasil. Congresso. (2014). Seguridade discute problemas causados pela monocultura do eucalipto na Bahia. Brasília: Câmara dos Deputados. Recuperado em 9 de setembro de 2015, de http://www2.camara.leg.br/camaranoticias/noticias/471567.html

37. Benjamin, C. A. (2006). Estudo da estrutura anatômica e das propriedades físicas e mecânicas da madeira Corymbia (Eucalyptus) citriodora e Eucalyptus grandis. Brasília. Recuperado em 27 de agosto de 2014, de http://bdtd.ibict.br/vufind/Record/UNSP_46d0c9c76e7c9d73e29d7220993bd8e2

38. Zegarra, B. E. V. (2011). Caracterização da estrutura anatômica e da densidade do lenho de árvores de Pinus taeda e efeito nas propriedades tecnológicas dos painéis OSB (Dissertação de mestrado). Universidade de São Paulo, Piracicaba. http://dx.doi.org/10.11606/D.11.2011.tde-22122011-084728.

39. Hu, X.-P., & Hsieh, Y.-L. (1996). Crystalline structure of developing cotton fibers. Journal of Polymer Science. Part B, Polymer Physics, 34(8), 1451-1459. http://dx.doi.org/10.1002/(SICI)1099-0488(199606)34:8<1451::AID-POLB8>3.0.CO;2-V.

5b7ac0900e8825df68896e51 polimeros Articles
Links & Downloads

Polímeros: Ciência e Tecnologia

Share this page
Page Sections