Polímeros: Ciência e Tecnologia
https://revistapolimeros.org.br/article/doi/10.1590/S0104-14282008000200007
Polímeros: Ciência e Tecnologia
Scientific & Technical Article

Tecnologias Utilizadas para a Reutilização, Reciclagem e Valorização Energética de Pneus no Brasil

Tenório, Jorge Alberto S.; Lagarinhos, Carlos Alberto F.

Downloads: 2
Views: 679

Abstract

Os pneus usados estão se tornando um problema mundial. O descarte de pneus cresce ano após ano em todo o mundo. Pouca importância foi dada ao descarte de pneus em muitos países. No Brasil, em 1999, foi aprovada a Resolução nº 258/99 do CONAMA (Conselho Nacional do Meio Ambiente) que instituiu a responsabilidade do produtor e do importador pelo ciclo total do produto, ou seja, a coleta, o transporte e a disposição final. Desde 2002, os fabricantes e importadores de pneus devem coletar e dar a destinação final para os pneus usados. Segundo essa lei, os distribuidores, revendedores, reformadores e consumidores finais são co-responsáveis pela coleta dos pneus servíveis e inservíveis, os quais devem colaborar com a coleta. Neste trabalho serão apresentadas as tecnologias utilizadas no Brasil para a reutilização, reciclagem e valorização energética, além de um fluxograma do processo de logística reversa dos pneus novos e usados, dados estatísticos dos canais de distribuição, objetivo da reciclagem e a disposição final, no período de 2002 a 2006. Em 2006, foram reciclados 240,62 mil toneladas de pneus inservíveis, o equivalente a 48,12 milhões de pneus de automóvel. As atividades de laminação, trituração e fabricação de artefatos de borracha representaram 50,02% do total destinado, o co-processamento em fornos de clínquer representou 35,73%, a regeneração de borracha sintética representou 13,22% e a extração e tratamento de minerais 1,03%.

Keywords

Reciclagem, pneus, tecnologias

References

 


1. Reschner, K. - " Scrap Tire Recycling Page" , Disponível em: , acesso em: 12 de novembro de 2002.

2. The Japan Automobile Tyre Manufacturers Association – " Tire Industry of Japan" , Yokohama Rubber, Tokyo (2007).

3. Associação Nacional das Indústrias de Pnemáticos – Disponível em: < http://www.anip.com.br>, acesso em 12 agosto de 2007.

4. Aliceweb – " Consulta dos pneus exportados e importados no período de 2002 a 2006" , Disponível em: , acesso em: 12 de Setembro 2007.

5. Conselho Nacional do Meio Ambiente – " Resolução nº 258, de 26 de agosto de 1999" , Disponível em: , acesso em: 13 de janeiro de 2003.

6. Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial –" Portaria nº 5, de 14 de janeiro de 2000, Inmetro: São Paulo (2000).

7. Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial – " Nota Técnica DQUAL/DIPAC nº 083/2000 de 03 de outubro de 2000" , Inmetro: São Paulo (2000).

8. Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial – " Portaria nº 133, de 27 de Setembro de 2001, Inmetro: São Paulo (2001).

9. Adhikari, B., De, D. & Maiti, S. - Prog. Polym. Sci., 25, p.909 (2000).

10. Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis - " Instrução Normativa nº 8, de 15 de maio de 2002" , IBAMA: Brasília (2002).

11. Marganha, M. F. B. & Komatsu, C. E. - " Pneus como alternativa energética" , in: Anais do 5º Congresso Brasileiro de Cimento - ABCP, 10 p.,São Paulo, novembro (1999).

12. Reis C. & Ferrão P. - " PROTAP - Produção, utilização e opções de fim de vida para pneus" , Instituto Superior Técnico, Lisboa (2000).

13. U.S. Environmental Protection Agency – Disponível em: , acesso em: 14 de abril 2006.

14. Leite, P. R. - " Logística reversa meio ambiente e competitividade" , Prentice Hall, São Paulo (2003).

15. Lagarinhos, C. A. F. - " Reciclagem de Pneus: Coleta e Reciclagem de pneus. Co-processamento na Indústria de cimento, Petrobras SIX e Pavimentação Asfáltica" , Dissertação de Mestrado, Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo, Brasil (2004).

16. Granutech-Saturn Systems - " Let the system work for you: complete turnkey solutions for reducing scrap tires to high-quality crumb rubber" , Granutech-Saturn Systems Corporation, Grand Prairie (2006).

17. Reciclanip. 2º Seminário Regional Sul de Resíduos Sólidos – Londrina, julho/07, 29 p.

18. Associação Brasileira do Segmento de Reformas de Pneus – Disponível em: , acesso em: 15 de setembro de 2007.

19. Associação Brasileira da Indústria de Pneus Remoldados – Disponível em: , acesso em: 14 de janeiro de 2005.

20. U.S. Environmental Protection Agency & Pacific Environmental Services – " Scrap Tires Technology and Markets" , Noyes Data Corporation, New Jersey (1993).

21. Rubber Manufactures Association - " U.S. Scrap Tires Markets 2005 Report" . Disponível em: , acesso em: 10 de julho de 2007.

22. European Association of the Rubber Industry – Disponível em: , acessada em: 24 de janeiro de 2006.

23. Morães, S. & Rios, C. - Gazeta Mercantil. São Paulo, 16 fev., C5, (2006).

24. Silva, C. - O Estado de São Paulo. São Paulo, 16 fev., B8, (2006).

25. Degré, J. P. - " Co-processing of Alternative Fuels & Alternative Raw Materials (AFR) – The Holcim experience" , in: Trabalhos Apresentados no Workshop: Co-processamento de resíduos na indústria de cimento, 56 p., Belo Horizonte, julho (2003).

26. Portland Cement Association - " Sustainable Manufacturing Fact Sheet: Tire Derived Fuel" ; Portland Cement Association: Skokien (2005).

27. Maringolo, V. - " Clínquer coprocessado: produto de tecnologia integrada para sustentabilidade e competitividade da indústria de cimento" , Tese de Doutorado, Universidade de São Paulo, Brasil (2001).

28. Furtado, M. - Química e Derivados, 436, p. 12 (2006).

29. U.S. Environmental Protection Agency – " Tire Derived Fuel" , Disponível em: , acesso em: 14 de dezembro de 2003.

30. Marques, M. - Revista Gerenciamento Ambiental, 6, p.10 (1999).

31. De Marco Rodriguez, I.; Laresgoiti, M. F.; Cabrero, M. A.; Torres, A.; Chamon, M. J. & Caballero, B. - Fuel Process. Technol., 72, p.19 (2001).

32. Novick, R. E. M.; Martignoni, B. N. V. & Paes, E. - " Retortagem de Pneus" , in: Anais do Seminário Nacional sobre Reuso e Reciclagem de Resíduos Sólidos – SMA,11p.,Rio de Janeiro, agosto (2000).

33. PETROBRAS SIX. Processo Petrosix com pneus. São Mateus do Sul-PR: Petrobras SIX, 2003, 2p.

34. Cocamar Cooperativa Agroindustrial – Disponível em: , acesso em: 15 de setembro de 2007.

35. Edel, G. – " Pneus inservíveis e asfalto: União que beneficia estradas e o meio ambiente" , in: Anais do Simpósio sobre obras rodoviárias RODO, 2 - ABGE, p.105, São Paulo, setembro (2002).

36. Estakhri, C. K.; Joe, Button, W. & Fernando, E. G. – " Use, Availability, and Cost-Effectiveness of Asphalt Rubber in Texas" , Transportation Research Record: Washington (1992).

37. Cal Recovery, Inc. – " Evaluation of Waste Tire Devulcanization Technologies" , Integrated Waste Management Board: Sacramento (2004).

38. Pacific Northwest National Laboratory. " Discover Award Winners" - Disponível em: , acesso em: 25 de janeiro 2006.

39. Fukomori, K. & Matsushita, M. - R&D Review of Toyota CRDL, 38, p.1 (2003).

40. Amari, T.; Themelis, N. J. & Wernick, I. K. - Resources Policy, 25, p.179 (1999).

41. Morandi, A. H. – " Reciclagem de Borracha" , in: Anais do Seminário de Materiais (Reciclagem), 2 – AEA, p. 55-60, São Paulo, (1992).

42. Instituto de Pesquisas Tecnológicas de São Paulo. Identificação da Destinação Final de Pneus Inservíveis – Relatório Técnico IPT/DEES no 71196. São Paulo: IPT, 2004, p. 81.

 

588371227f8c9d0a0c8b4745 polimeros Articles
Links & Downloads

Polímeros: Ciência e Tecnologia

Share this page
Page Sections