Polímeros: Ciência e Tecnologia
https://revistapolimeros.org.br/article/doi/10.1590/S0104-14281999000100010
Polímeros: Ciência e Tecnologia
Scientific & Technical Article

Determinação de Temperatura de Transição Dúctil-frágil de Plásticos Através de Testes de Impacto Instrumentado

Correa, Carlos A.; Yamakawa, Roberto S.; Hage Junior, Elias

Downloads: 0
Views: 435

Resumo

Nesse trabalho é realizada uma análise descritiva do teste de impacto tipo Izod instrumentado e são mostradas suas vantagens em relação ao impacto convencional na obtenção de diagramas de força e energia de fratura em tempo-real. Estes diagramas além de fornecerem dados do material em termos de sua resistência ao impacto tradicional, contém informações detalhadas sobre os mecanismos de fratura e as principais características apresentadas durante a propagação da trinca no corpo de prova. A medida da variação da resistência ao impacto com a temperatura pode ser utilizada como uma formula de se determinar a existência de transições dúctil-frágeis ou alternativamente a suscetibilidade de materiais poliméricos à concentração de tensões, i.e., profundidade e raio da extremidade do entalhe. As curvas de carga e energia, obtidas à várias temperaturas, são utilizadas na determinação de parâmetros do material e da temperatura de transição dúctilfrágil de um copolímero de acrilonitrila-butadieno-estireno (ABS). A análise da superficie de fratura por microscopia eletrônica de varredura, (MEV) permitiu a correlação da forma das curvas de impacto com o modo de fratura observado e detalhes da microestrutura do material.

Palavras-chave

Tenacidade, impacto instrumentado, transição dúctil-frágil, fratura, microscopia eletrônica de varredura, ABS.

References



1. Bucknall, C.B. - Rubber Toughened Plastics, London: Applied Science (1977).

2. Instron Wolpert ¾ Basic Principles of Measured Data Evaluation for Charpy Tests on Notched and Pre-cracked Specimens, Instron Co. (1996).

3. ASTM D256 93a ¾ "Standard Test Methods for Determining the Pendulum Impact Resistance of Notched Specimens" .

4. ISO 180 (1993E) ¾ "Plastics - Determination of Izod Impact Strength" .

5. Rink, M.; Riccó, T.; Lubert, W.; Pavan.A. - J. Appl. Polym. Sci. 22, 429 (1978).

6. Fisher, . W.F.C. ; Hills. D.ª - Engng. Fracture Mech. 16, 287 (1982).

7. Bernal,C.; Cassanelli, P; Frontini. P.- Polymer 37, 4033 (1996).

8. Chen, B.Y.; Shi. Y.W. - Engng. Fracture Mech. 36, 17 (1990).

9. Starke, J.U.; Michler, G.H.; Grellman, W.; Seidler, S.; Gahleitner, M.; Fiebig, J.; Nezbedova, E. - Polymer 39, 75 (1998).

10. McCrum, N.G.,; Buckley, C.P.; Bucknall, C.B. ¾ "Principles of Polymer Engineering", Oxford Science Publications (1988)

11. Ward, I.M. - "Mechanical Properties of Solid Polymers", John Wiley and Sons 2nd Edition (1990)

12. Echte, A. ¾ "Rubber Toughened Styrene Polymers", in: Rubber Toughened Plastics. Advanced Chemistry Series 222. Ed. C. K. Riew, Washington (1989).

13. Hage Jr., E.; Bernardi, A.; Dulcini. S.L., In: Anais do 2o Congresso Brasileiro de Polímeros, São Paulo, p. 179 (1993).
5883714b7f8c9d0a0c8b481a polimeros Articles
Links & Downloads

Polímeros: Ciência e Tecnologia

Share this page
Page Sections